O motivo do fracasso da grande maioria das dietas

Quem quer perder peso muitas vezes se submete à dietas malucas e restritivas. E, depois de dias ou meses de sofrimento acabam recuperando todo o peso perdido ou até mesmo ganhando mais uns quilinhos.

Isso acontece porque essas dietas radicais costumam ter um número de calorias inferior à sua taxa metabólica em repouso. Essa taxa é a quantidade de calorias que você precisa para manter suas funções metabólicas ao longo do dia, como manter seu coração batendo, respirar, etc. Cada pessoa tem uma taxa metabólica em repouso diferente, e é por isso que na prática clínica sempre fazemos o exame de calorimetria indireta. Mas isso é assunto pra outro post.

Se a pessoa come menos do que precisa para sobreviver, nosso organismo entra em estado de alerta e desacelera nosso metabolismo, ou seja, faz com que ele fique mais lento. Assim, entraremos em estado de inanição e começaremos a comer mais e mais assim que o período de "dieta" terminar.  E isso é a famosa recuperação do peso perdido.

Quem nunca deixou de tomar o café da manhã, beliscou alguma coisa no lanche, comeu um sanduíche no almoço e chegou em casa à noite com tanta fome que comeu uma pizza inteira e tudo o mais que viu pela frente?

É esse o efeito das dietas restritivas - o famoso efeito-sanfona. O mais preocupante é que quanto mais você se submete à esse tipo de dieta, mais confuso fica o seu metabolismo e cada vez mais difícil perder peso numa próxima tentativa.

Portanto, cuidado. Fuja de mágicas, de dietas malucas e com grandes promessas. Perder peso requer paciência, persistência, boas orientações alimentares e prática regular de atividade física. Simples assim.





Um dia na vida de um lutador de sumô: talvez você esteja fazendo igual

Os lutadores de sumô acordam cedo (normalmente às 5 hrs), pulam o café da manhã e enfrentam uma rotina extenuante de cinco horas de exercícios chamada keiko

Em seguida, tomam banho e fazem a principal refeição do dia, um ensopado rico em proteínas chamado chanko-nabe. Trata-se de uma sopa espessa e saudável feita com algas, peixe, repolho, alho-poró, cogumelos, broto de feijão, tofu, macarrão, frango, porco, salmão, vieiras, ovos, arroz e molho de soja. Eles comem esse prato acompanhado de mais arroz e completam com cerveja ou saquê.

Após essa pesada refeição, passam as próximas horas cochilando. Em seguida, acordam e logo estão prontos para jantar e dormir novamente. No dia seguinte seguem a mesma rotina. Todo dia, durante anos.

Esse regime de exercícios, alimentação e sono provoca um enorme aumento de peso, sobretudo quando adotado por muito tempo. Então, qual é a biologia por trás disso? Por que esse padrão faz engordar tanto que leva os lutadores de sumô a pesar de 180 a mais de 300 kg?

Vamos lá aos erros:

1. Pular refeições faz você comer muito mais na próxima; seu organismo e metabolismo não conseguem processar esse tanto de calorias e nutrientes de uma vez. O resultado? Acúmulo de gordura.

2. Dormir longas horas após uma grande refeição faz a digestão não acontecer corretamente, e com isso acontece a mesma coisa explicada no item 1.

3. Exercícios extenuantes sem alimentação correta pré e pós-treino diminuem a massa muscular e deixam a gordura corporal intacta.

Você se reconhece em alguma dessas situações? Fique atento!



Post relâmpago: mitos que engordam

Hoje vou passar rapidinho para dar uma dica muito importante. Existem alguns mitos na nutrição que são amplamente divulgados por aí, mas que não são verdade. 

Portanto, fique atento! Os mais comuns são:

1. Comer menos + exercitar-se mais = emagrecer
2. Todas as calorias são iguais
3. Comer gordura engorda
4. Comer pouco ou nenhum carboidrato emagrece
5. Pular refeições ajuda a emagrecer
6. Os franceses são magros porque bebem vinho e comem manteiga

Nenhum deles está certo. Lembre-se que na nutrição TUDO DEPENDE. O que funciona pra uma pessoa nem sempre funciona pra você. Fique esperto!



LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...