Óleo de coco: ele ajuda mesmo a emagrecer?

Muito se fala nos dias de hoje sobre o óleo de coco. Com a promessa de quilos a menos, vem atraindo inúmeras pessoas na luta contra a balança.

Encontrado na forma líquida ou em cápsulas, ele pode ser ingerido ou usado na preparação dos alimentos. 

Sabemos hoje que vários alimentos, bebidas, sementes e produtos naturais caíram no esquecimento pela ausência de estudos científicos e resultados que comprovassem sua eficácia. Pelo que tudo indica, com o óleo de coco não vai ser diferente, pois os estudos recentes não conseguiram descobrir nenhum mecanismo responsável que o classifique como alimento termogênico (ou seja, capaz de acelerar a queima de calorias pelo organismo).

Para conhecer um pouco mais sobre os alimentos termogênicos, clique aqui. E se quiser assistir à entrevista sobre o mesmo assunto, basta clicar aqui.

Conheça a composição nutricional do óleo de coco na tabela abaixo:


Nutrientes

UnidadeValor por 100 g
Relacionados
Águag0
Caloriaskcal862
Proteínasg0
Lípides totais (gordura)g100
Carboidratos, por diferençag0
Fibra total dietéticag0
Cinzasg0
Minerais
Cálcio, Camg0
Ferro, Femg0.04
Magnésio, Mgmg0
Fósforo, Pmg0
Potássio, Kmg0
Sódio, Namg0
Zinco, Znmg0
Cobre, Cumg0
Manganês, Mnmg0
Selênio, Semcg0
Vitaminas
Vitamina C, ácido ascórbico totalmg0
Tiaminamg0
Riboflavinamg0
Niacinamg0
Ácido pantotênicomg0
Vitamina B6mg0
Folato totalmcg0
Vitamina B12mcg0
Vitamina AUI0
Vitamina A, RAEmcg_RAE0
Lípides
Ácidos graxos, total saturadosg86.5
Ácidos graxos, total mono-insaturadosg5.8
Ácidos graxos, total poli-insaturadosg1.8
Colesterolmg
Fonte: USDA Nutrient Database for Standard Reference, Release 14 (Julho 2001).
Pode-se observar que o óleo de coco é rico em gorduras saturadas, reponsáveis por aumentar o LDL (colesterol ruim) no organismo. É esse tipo de gordura que se deposita nas artérias e eleva o risco de problemas cardiovasculares. Podemos encontrá-la nas frituras, carne vermelha, manteiga e laticínios em geral. 
De acordo com a tabela, pode-se concluir que ele também não possui nenhum tipo de vitaminas e minerais em sua composição. Vitaminas e minerais são nutrientes responsáveis por colocar o organismo "em ordem", favorecer a absorção de nutrientes, além de melhorar a disposição, entre outros benefícios.
Além disso, por ser um óleo é rico em calorias, o que torna seu consumo contraditório em tratamentos para perda de peso.
Portanto, seu uso só é indicado, com cautela e sem excessos, como substituto ao óleo de cozinha, usado na preparação cotidiana dos alimentos. O efeito emagrecedor é ilusório devido ao fato de ainda não existirem estudos consistentes, publicados em revistas científicas de renome que indiquem seu uso como alimento termogênico.
Procure sempre um especialista antes de usar qualquer suplemento alimentar "da moda". Ele será responsável por esclarecer dúvidas e indicar o que será melhor para que você atinja seus objetivos, de uma forma saudável e sem danos ao organismo.