Memória metabólica: o que é?

A grande maioria das pessoas já conheceu alguém que come de tudo e permanece magro, um que engorda e emagrece sempre (efeito sanfona) e outro que tem um corpo ótimo, mesmo não mantendo uma dieta restritiva ou uma rotina de exercícios pesada. Por que isso acontece? Através da memória metabólica.

Como assim? O seu corpo está acostumado com a forma física que ele passou a maior parte da vida. Se você foi uma pessoa obesa a vida inteira e a cerca de um ano se tornou um praticante de atividade física regular e com um ótimo físico, você terá o metabolismo de um obeso por muito tempo, mesmo tendo a aparência de um atleta. Ou seja, qualquer descuido em um período de manutenção acarretará em um rápido acúmulo de gordura corporal, portanto o resultado deve ser consolidado.

Quando submetido a períodos de stress metabólico, como por exemplo uma restrição de calorias, o organismo reduz a taxa metabólica basal (de repouso) e diminui o gasto energético, pois entende esse processo como uma agressão à taxa de gordura que ele sempre foi acostumado a ter e fará de tudo para que isso não aconteça.

Vale também lembrar que para o nosso organismo é muito mais fácil acumular gordura e perder músculos, pois a gordura é uma reserva energética e os músculos não.

Portanto, se você passou grande parte da sua vida se alimentando mal e sem praticar atividade física, reverter esse processo exigirá muita paciência. Seis meses levando um estilo de vida saudável não serão o bastante para modificar o seu metabolismo.

Finalizando, tanto o obeso quanto o magro que quer ganhar massa muscular não devem ver o alcance da meta como a linha de chegada e sim como o começo de um novo estilo de vida, que deverá ser mantido para sempre.


Adaptado do Livro Viva em Dieta, Viva Melhor.