O motivo do fracasso da grande maioria das dietas

Quem quer perder peso muitas vezes se submete à dietas malucas e restritivas. E, depois de dias ou meses de sofrimento acabam recuperando todo o peso perdido ou até mesmo ganhando mais uns quilinhos.

Isso acontece porque essas dietas radicais costumam ter um número de calorias inferior à sua taxa metabólica em repouso. Essa taxa é a quantidade de calorias que você precisa para manter suas funções metabólicas ao longo do dia, como manter seu coração batendo, respirar, etc. Cada pessoa tem uma taxa metabólica em repouso diferente, e é por isso que na prática clínica sempre fazemos o exame de calorimetria indireta. Mas isso é assunto pra outro post.

Se a pessoa come menos do que precisa para sobreviver, nosso organismo entra em estado de alerta e desacelera nosso metabolismo, ou seja, faz com que ele fique mais lento. Assim, entraremos em estado de inanição e começaremos a comer mais e mais assim que o período de "dieta" terminar.  E isso é a famosa recuperação do peso perdido.

Quem nunca deixou de tomar o café da manhã, beliscou alguma coisa no lanche, comeu um sanduíche no almoço e chegou em casa à noite com tanta fome que comeu uma pizza inteira e tudo o mais que viu pela frente?

É esse o efeito das dietas restritivas - o famoso efeito-sanfona. O mais preocupante é que quanto mais você se submete à esse tipo de dieta, mais confuso fica o seu metabolismo e cada vez mais difícil perder peso numa próxima tentativa.

Portanto, cuidado. Fuja de mágicas, de dietas malucas e com grandes promessas. Perder peso requer paciência, persistência, boas orientações alimentares e prática regular de atividade física. Simples assim.