Sobre a polêmica das carnes e dos embutidos

Essa ultima semana saiu uma notícia que alarmou (mais uma vez!) a população brasileira: grandes produtores de carnes e embutidos vendendo carne adulterada.

O que podemos aprender com isso?

Não é novidade na nutrição que o consumo de embutidos (presunto, peito de peru, tender, mortadela, salsicha, etc) deve ser evitado. Essa notícia só deixou claro o que nós nutricionistas estamos falando a muito tempo: vocês precisam mudar os conceitos do que é ou não saudável e aprender a comer comida de verdade.

Para você entender melhor, vamos fazer uma breve análise da lista de ingredientes de um embutido de uma marca bem conhecida no mercado: Salsicha para Hot Dog Sadia@.



Ingredientes:
Carne mecanicamente separada de frango, gordura suína, carne suína, água, carne de peru, proteína isolada de soja, fécula de mandioca, sal, maltodextrina, condimentos naturais, pimenta preta, regulador de acidez lactato de sódio (INS 325), estabilizantes: tripolifosfato de sódio (INS 451i), polifosfato de sódio (INS 452i) e pirofosfato ácido de sódio (INS 450i), aromas de fumaça natural de fumaça, natural de pimenta branca, naturais e idêntico ao natural de pimenta da Jamaica e preta, realçador de sabor glutamato monossódico (INS 621), antioxidante eritorbato de sódio(INS 316), conservador nitrito de sódio (INS 250) e corante urucum (160b).

Observa-se que existem inúmeros conservantes, estabilizantes, glutamato monossódico (responsável por deixar tudo "mais gostoso") e nitrito de sódio (conservante e fixador de cor - deixa a carne com uma colocação mais vermelha). Todos tem poder cancerígeno e podem causar danos à saúde quando consumidos sem moderação.

Resumindo, é simples: salsicha é uma mistura de coisas nada nutritivas, processadas e coloridas artificialmente. Agora veja bem: gordura suína, fécula de mandioca, soja, maltodextrina, aroma de fumaça e de pimenta são coisas um pouco estranhas quando o objetivo é consumir uma proteína, certo? E tudo isso está lá, no início da lista de ingredientes.

Aí eu te pergunto: isso é comida de verdade?

Vale lembrar que existem algumas substâncias ou alimentos permitidos pela legislação brasileira na confecção de produtos alimentícios, mas isso é assunto para outro post. O que é importante é ficar claro que você pode - e deve - escolher melhor o que ingere e serve para a sua família.

Já sobre as carnes, acredito que a melhor alternativa é comprar as peças em um açougue de qualidade e que você conheça a procedência. Eu mesma já cansei de ir ao supermercado, pegar uma peça de carne embalada e ver que ela estava fora do prazo de validade. E era um supermercado bem renomado aqui em Belo Horizonte!

Quase ninguém verifica isso, mas todos deveriam. E não vale só para carnes, e sim todos os produtos que você leva pra casa.

Portanto, fica aqui mais um alerta do que você deveria estar fazendo a muito tempo mas ainda talvez não tenha feito: desembalar menos e descascar mais.

Sua saúde agradece!