Você sabe o que são alimentos funcionais?

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), alimentos funcionais são aqueles que produzem efeitos metabólicos ou fisiológicos através da atuação de um nutriente ou não nutriente no crescimento, desenvolvimento, manutenção e em outras funções normais do organismo humano.

Um alimento pode ser considerado funcional quando além de nutrir, é capaz de afetar beneficamente uma ou mais funções no corpo, melhorando a saúde e bem-estar e/ou reduzindo o risco de doenças.

De acordo com a ANVISA, o alimento ou ingrediente que alegar propriedades funcionais, além de atuar em funções nutricionais básicas, irá desencadear efeitos benéficos à saúde e deverá ser também seguro para o consumo sem supervisão médica.

Em sua grande maioria, esses compostos estão distribuídos entre as frutas, legumes, verduras, cereais, leguminosas, peixes de água fria e leite fermentado. Eles podem ser aproveitados no próprio consumo dos alimentos in natura ou por meio da industrialização, como por exemplo: leites e ovos enriquecidos com ômega 3, pães enriquecidos com fibras e iogurtes com lactobacilos.

E porque as pessoas estão se interessando tanto por este assunto? Provavelmente estão percebendo que o segredo para manter a saúde é consumir alimentos saudáveis e na quantidade certa. Mas o que é importante realçar é que uma boa alimentação inclui todos os grupos de alimentos, sendo balanceada, variada e saudável com a redução da ingestão de gorduras, principalmente as saturadas e açúcares, aumentando o consumo de carboidratos complexos e fibras, além de frutas e vegetais.

Assim, o consumo de alimentos funcionais não deve ser encarado como tratamento de doenças, substitutos de medicamentos ou como uma fórmula mágica para resolver todos os problemas, mas sim como alimentos que fazem bem à saúde e que podem ser incorporados facilmente ao plano alimentar diário; ajudando a evitar doenças provenientes de uma dieta desbalanceada.

Conheça alguns alimentos funcionais:
  • Betacaroteno: antioxidante que diminui o risco de câncer e de doenças cardiovasculares. Fontes: abóbora, cenoura, mamão, manga, damasco, espinafre, couve.

  • Licopeno: antioxidante relacionado à diminuição do risco de câncer de próstata. Fontes: tomate, goiaba, melancia, beterraba.

  • Fibras: redução do risco ao câncer de intestino e dos níveis de colesterol sangüíneo. Fontes: frutas, legumes e verduras em geral e cereais integrais.

  • Flavonóides: antioxidantes que diminuem o risco de câncer e de doenças cardiovasculares. Fontes: verduras, frutas, grãos, sementes, castanhas, chás (preto e verde) suco natural de uva, vinho tinto.

  • Isoflavonas: redução dos níveis de colesterol sangüíneo e do risco de doenças cardiovasculares. Fontes: feijões, ervilha, lentilha, grão de bico, soja.

  • Ácido graxo ômega 3: redução dos níveis de colesterol sangüíneo e do risco de doenças cardiovasculares. Fontes: peixes de água fria (sardinha, atum, salmão), óleo de peixes, óleos vegetais.

  • Pró-bióticos: ajudam no equilíbrio da flora intestinal e inibem o crescimento de microrganismos patogênicos. Fontes: iogurtes, leite fermentado.

Diversifique sua alimentação e conheça os benefícios!!!