Os alimentos funcionais são a nova base alimentar?

Bom, como tem muita gente por aí falando sobre alimentos funcionais, inventando moda e por aí vai, vale a pena definir o que eles são e descobrir se devem mesmo fazer parte de uma alimentação equilibrada. Nem sempre um bom alimento funcional é aquele que está na moda ou o mais caro, fique atento!

Se um indivíduo alguma vez mordeu uma barrinha energética, bebeu um copo de suco de laranja enriquecido com cálcio ou tomou uma sopa reforçada com vitaminas, minerais e probióticos, ele se deliciou com um alimento funcional. Tecnicamente, o termo alimento funcional refere-se a um produto que beneficia o desempenho ou a saúde. A American Dietetic Association, em seu documento de intenções sobre alimentos funcionais, define esses produtos como "qualquer alimento ou ingrediente alimentar modificado que ofereça benefício à saúde além dos nutrientes tradicionais que contém". 

Veja alguns produtos que se encaixam nessa definição:

  • Alimentos em que açúcar, gordura, sódio ou colesterol foram reduzidos ou excluídos. Exemplos: queijo isento de gordura, geléia sem açúcar, sopa pobre em sódio. Alimentos funcionais como esses são convenientes para pessoas que estão sob dieta de restrição e podem ser úteis na prevenção ou no controle da obesidade, doenças cardiovasculares, diabetes e hipertensão arterial.
  •  Alimentos nos quais foram reforçados componentes já presentes naturalmente, como cereais matinais e massas enriquecidas com fibras ou vitaminas. Alimentos modificados dessa maneira podem desempenhar um papel importante na prevenção de doenças.
  • Alimentos reforçados com nutrientes normalmente ausentes, como pão enriquecido com ácido fólico, iogurte com vitamina D e sopas incrementadas com ervas. Alimentos enriquecidos fazem as pessoas ingerirem mais nutrientes e ajudam a preservar e manter o bem-estar geral.
  • Iogurte probiótico e outros produtos derivados do leite, aos quais foram acrescentadas bactérias saudáveis como parte do processo de fermentação. Acredita-se que esses alimentos aumentem a flora intestinal boa, e isso favorece a digestão e previne doenças.

É aconselhável incorporar esses alimentos à dieta, caso já não façam parte? A resposta é sim, especialmente se comodidade for importante e a intenção for potencializar a saúde, força e crescimento muscular. Vale lembrar que de nada adianta o uso de alimentos funcionais se a dieta diária não for rica em nutrientes, proteína magra e laticínios, frutas, grãos integrais, hortaliças e dos tipos certos de gordura.