Alergia alimentar: como nos tornamos alérgicos e o que você pode fazer a respeito

São vários os fatores que contribuem para o aumento da alergia alimentar (AA) em todo o mundo, mas o mais grave deles é a amamentação inadequada. Toda criança nasce com predisposição para ser alérgica e por esse motivo devem receber aleitamento materno exclusivo até os 8 meses de idade. Tal medida é fundamental principalmente para filhos de pais alérgicos. Essas crianças, caso recebam leite de vaca antes dos 8 meses, tem uma grande probabilidade de serem alérgicas ao mesmo.

O segundo erro comum erro comum é o uso da "mamadeira assassina" nos berçários. A introdução do leite de vaca, antes do leite humano, leva a uma resposta de ativação imune do perfil Th2 (= células T auxiliares do tipo 2), que perdura por muitos meses ou anos e faz dessa criança um paciente potencialmente alérgico ao leite de vaca. 

O terceiro fator que contribui para o aumento da AA em todo o mundo é o excesso de higiene. Nossos partos são, em mais de 90% dos casos, totalmente estéreis pela cesariana. Isso impede que nossos recém-nascidos tenham contato com o canal de parto e que assim recebam, por deglutição, uma colonização precoce e desejável em seu trato digestivo. 

Um outro fator é o uso exagerado e precoce de antiácidos e antibióticos. Nada mais deletério para o pâncreas que o uso contínuo de antiácidos. Eles não deixam que a acidez gástrica necessária chegue ao duodeno e assim se complete o ciclo fisiológico da secreção pancreática. Sem essa acidez, o pâncreas não secreta suas enzimas corretamente e assim não consegue digerir as proteínas inteiras, que chegarão ao íleo terminal não digeridas, aumentando as chances de AA.

O mesmo ocorre com o uso de antibióticos. Quem nunca ficou doente, usou antibióticos e, ao primeiro sinal de melhora interrompeu o ciclo estabelecido pelo médico? Quando você faz isso não se cura a doença por completo, tornando seu organismo cada vez mais resistente. Assim, na próxima vez que você adoecer é bem provável que tenha que usar um antibiótico mais forte. Sabemos hoje que os antibióticos retardam o crescimento de bactérias benéficas em nossa flora intestinal, tornando você mais propenso a ter alergia alimentar devido à falta de proteção.