Alimentação funcional: esclarecimentos e mais um pouco

A maior moda da alimentação atual é a nutrição funcional, mas o que muitos não sabem é que o poder de melhorar a saúde através dos alimentos já vem de muitos e muitos anos atrás. 

Para refletir: seus avós comiam banha de porco diariamente e não tinham nem metade das doenças da atualidade (aos que levam as coisas ao pé da letra, atenção - comer banha de porco diariamente não previne doenças tá? Foi um exemplo).

Voltando ao assunto....

Chia, linhaça, chá de hibisco, iogurtes com probióticos, sal rosa, gojiberry, leites enriquecidos e sem lactose, pão sem glúten, massas enriquecidas com vitaminas e minerais são somente alguns exemplos dos famosos alimentos funcionais. Para saber mais sobre eles, clique aqui.

Mas, na verdade, o importante a se dizer é que de nada adianta ingerir chia no café da manhã se durante o restante do dia você se entope de fast-food, almoça coxinha e batata frita na comida a quilo, come uma pizza cheia de gordura no jantar e um docinho todos os dias depois do almoço. E tem mais: entrar nessa onda funcional sem informação de qualidade pode fazer com que você gaste muito, muito dinheiro; quando poderia estar comendo tão bem quanto com a metade do valor investido.

O importante é o equilíbrio alimentar, seja qual for o seu objetivo - perda de peso, reeducação alimentar, ganho de massa magra e por aí vai. Outro ponto importante é consumir mais comida de verdade. Alimento. Diminuir os processados. E isso não quer dizer viver a base de frango e batata doce pro resto da vida pois um bom planejamento alimentar deve incluir as coisas que você gosta, e não só os alimentos mais indicados.

Seu nutricionista tem que te ensinar como trocar um alimento não tão indicado por uma opção melhor e mais saudável. E planejar quando será o dia onde você "enfiará o pé na jaca" e isso não lhe trará um grande problema. 

Pra mim isso é realidade. É nutrição inteligente. Portanto, atenção para aqueles profissionais que lhe prometem mundos e fundos em um mês. Que dizem que só se você tomar o suplemento X atingirá seus objetivos. Que te pedem 60 mil exames só para encontrar alguma coisa muito errada com você e de certa forma "te forçar" a fazer o tratamento Y (mas esse é assunto para um outro post). Que dizem que você, perfeitamente saudável, tem que retirar o glúten e a lactose da dieta de qualquer jeito, senão não conseguirá emagrecer. Que tem que comer o tal sal do Himalaia porque só ele resolve. E assim eles jogam fora a a sua disposição para aderir a um tratamento e seu prazer em se alimentar.

A nutrição de qualidade leva em conta vários fatores, principalmente a individualidade biológica de cada um. O plano alimentar é só o começo. Te conhecer, saber o que te levou a consultar, quais são seus planos, expectativas com o tratamento, quanto você pode investir em alimentação também são pontos importantes e que não devem ser esquecidos.

Portanto, um tratamento de sucesso começa a partir da escolha correta de quem vai cuidar de você. Fique atento, pergunte, questione!