Você conhece a nova pirâmide dos alimentos?

Todas as pessoas com certeza já ouviram falar ou conhecem a pirâmide dos alimentos. O que muitas delas não sabem é que a pirâmide foi atualizada recentemente. E é sobre essas mudanças que iremos falar hoje..
O Guia da Pirâmide Alimentar foi elaborado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) e apresentado oficialmente em 1992, com o objetivo de auxiliar a população em geral na obtenção de uma alimentação saudável devido à elevada incidência de obesidade e doenças crônicas neste país.
Na tentativa de simplificar as recomendações nutricionais, a pirâmide antiga apresentava algumas falhas, pois se sabe que nem todas as gorduras são prejudiciais, assim como, nem todos os carboidratos fazem bem à saúde. Atualmente, o USDA está reavaliando a pirâmide, devendo concluí-la em breve. Enquanto isso, cientistas do Departamento de Nutrição da Escola de Saúde Pública da Universidade de Harvard construíram uma nova sugestão para a pirâmide alimentar que foi publicada na revista Scientific American Brasil. Foi uma inovação nos conceitos de alimentação saudável - com algumas ressalvas, claro.

Os autores dividiram a pirâmide em sete níveis, tendo como base os exercícios físicos e o controle de peso. Ótima mudança, pois uma das maiores causas da obesidade é o sedentariasmo, que impera no Brasil nos últimos anos.

No segundo nível estão os carboidratos integrais, como pães e arroz, juntamente com os óleos vegetais. Abre parênteses: os óleos vegetais devem sim fazer parte da nossa alimentação diária, pois são importantíssimos para o fuincionamento adequado do organismo (produção de hormônios, entre outras funções). Mas devem ser consumidos com moderação, pois, em excesso, causam ganho de peso.

Acima, estão as hortaliças e as frutas. Logo acima, as castanhas, amendoim e leguminosas, como feijão, ervilha e grão de bico. Em seguida, peixes, frango e ovos. No topo da pirâmide encontram-se os laticínios ou suplementos de cálcio, e por ultimo, arroz branco, pão branco, batata, macarrão e doces, juntamente com a carne vermelha e a manteiga. Vitaminas e até uma dose moderada de bebida alcoólica também estão incluídas, apesar das controvérsias. Em relação aos suplemento de cálcio, não acredito que sejam necessários para pessoas saudáveis. Se você ingere diariamente leite, queijo ou iogurte, provavelmente não irá precisar deles, concorda?

A grande novidade, aprovada por todos os profissionais de saúde sem contestação, é a base da pirâmide ser composta por exercícios físicos e o controle do peso, visto que, já estão mais do que comprovados os benefícios da atividade física e os malefícios do sedentarismo e obesidade. A vida moderna e as facilidades tecnológicas aumentaram assustadoramente os casos de obesidade, favorecendo o ganho de peso e também uma alimentação na maioria das vezes incorreta; composta de fast-food e alimentos prontos e processados. Quem nunca foi ao Mc Donald's almoçar correndo porque tinha que voltar rapidamente ao trabalho que atire a primeira pedra...

A nova pirâmide diferencia as gorduras, restringindo apenas a gordura saturada - abundante na carne vermelha e laticínios - e incentiva o uso de óleos vegetais que são fontes de ômega 3 e tem um efeito favorável na redução dos triglicérides plasmáticos e no aumento dos níveis de HDL (colesterol bom), exercendo uma importante ação na prevenção de doenças cardiovasculares.

Quanto ao grupo das frutas e hortaliças não há alterações significativas no número de porções diárias com relação às recomendações da pirâmide alimentar anterior. Afinal, frutas só fazem bem à saúde. Mas não leve essa informação ao pé da letra e saia comendo um abacaxi inteiro de uma vez só. Variedade e moderação são palavras chave em um processo de reeducação alimentar.

Os carboidratos também foram separados, sendo que os integrais permaneceram na base da pirâmide por serem ricos em fibras, as quais exercem um efeito benéfico sobre o sistema gastrintestinal e estão envolvidas na redução dos níveis de colesterol e melhor controle glicêmico. Já os carboidratos refinados (arroz branco, pão branco, batata...) foram para o topo da pirâmide, uma vez que estes alimentos, quando ingeridos, aumentam rapidamente os níveis de glicose sanguínea e estimulam a liberação de insulina, hormônio que capta a glicose levando-a para os músculos e fígado. Níveis elevados de glicose e insulina podem ter efeitos negativos sobre a saúde cardiovascular, aumentando os triglicérides e diminuindo o HDL (colesterol bom), além de diminuir a glicose do sangue rapidamente, havendo a necessidade de comer novamente.

Provavelmente outras propostas virão a partir dessa nova sugestão de guia alimentar, uma vez que esta não está adaptada ao hábito alimentar brasileiro e alguns itens, como a inclusão de vitaminas e bebidas alcoólicas são bastante controversos. Quanto à restrição dos carboidratos refinados é importante lembrar que dificilmente consumimos o carboidrato isoladamente (arroz ou pão puro) e desta forma sua absorção não é tão rápida, evitando a elevação da glicemia e níveis altos de insulina. Vale ressaltar que a incorporação de atividade física, controle de peso e a separação das gorduras foram muito bem recebidas.


Para quem é leigo no assunto, a figura da pirâmide já é um bom começo para que você saiba como sua alimentação deve ser. Mas, o ideal seria ter acompanhamento nutricional, dessa forma você viverá uma vida melhor, mais saudável e longe de doenças!!! Quer apostar?