Você sabe o que é dieta DASH?

Hoje sabemos que inúmeras intervenções não-farmacológicas podem ter um impacto em reduzir a pressão arterial média das pessoas hipertensas. Intervenções como redução de peso, diminuição da ingestão de sal e do consumo de álcool podem prevenir e tratar a hipertensão.

O tratamento da hipertensão envolve vários aspectos: mudanças dietéticas, comportamentais e medicamentosas. Estas mudanças incluem a correção do peso corporal, aumento da atividade física, ingestão moderada de bebida alcóolica, abandono do fumo, diminuição no consumo de sal e gorduras e ingestão satisfatória de potássio, cálcio, magnésio e ômega 3 – nutrientes que aumentam a excreção de sódio pelo organismo.

Mas, o que é a dieta DASH? DASH é a abreviação de "Dietary Approaches to Stop Hypertension", que significa "Métodos para Combater a Hipertensão Através da Dieta". A dieta DASH é um guia alimentar elaborado pelo governo norte-americano com o objetivo de abaixar a pressão arterial e, desta forma, diminuir os riscos à saúde decorrentes da pressão alta.

A dieta DASH é um plano alimentar com redução de gordura saturada e colesterol que enfatiza o consumo de frutas, vegetais, leite desnatado e seus derivados. Também inclui grãos integrais, peixe, frango, nozes e limita o uso de carne vermelha, doces, açúcar e refrigerantes. Seus benefícios aos hipertensos se devem, entre outros, ao fato de ser rica em potássio, magnésio, cálcio, proteínas e fibras.

Pacientes hipertensos que realizaram essas mudanças em sua alimentação conseguiram reduzir sua pressão arterial e, em casos mais leves até suspender o uso de medicamentos. Nos casos mais graves, a dieta DASH possibilitou uma diminuição da dosagem dos medicamentos para controle da hipertensão.

A dieta DASH pode melhorar a sua saúde de várias formas! Como? Simples. Aumentar o consumo de frutas e vegetais pode reduzir o risco de alguns tipos de câncer. O cálcio presente nos produtos lácteos diminui o risco de osteoporose e uma dieta pobre em gorduras saturadas e colesterol diminui o risco de doença cardiovascular.

Esses benefícios dependerão não só da disponibilidade dos alimentos indicados mas também da motivação das pessoas em promover alterações duradouras em sua dieta. Como a maioria das recomendações envolve modificações dietéticas, é importante o acompanhamento de um nutricionista para que o tratamento seja eficaz e tenha melhores resultados a longo prazo. Com certeza vale a pena!