Revista 02 por Minuto - Alimente-se depois da corrida

Saiba por que é necessário comer depois da atividade física e o que é indicado ingerir para que o corpo se recupere e esteja melhor preparado para os próximos treinos.

Essa matéria também poderá ser lida aqui. 
Por Maurício Belfante

Logo após um treino cansativo e de muita energia queimada, uma nova fase começa: a recuperação. Se recuperar do esforço realizado é de extrema importância. Tão importante que muitos estão acostumados a realizarem atividades relaxantes, como massagens e até a famosa balde de gelo para relaxar os músculos. Porém, não são apenas estas atividades que recuperam o nosso corpo depois de um exercício exaustivo, a ingestão de certos alimentos também ajuda.

“Na alimentação pós-treino são necessários muitos carboidratos, importantes para repor o glicogênio muscular gasto durante o exercício. Mas em regra, depende do objetivo do atleta e da periodização do treinamento, fato que deve ser avaliado por uma nutricionista”, afirma Maria Gabriela Goulart, nutricionista esportiva.

A quantidade de carboidratos não é específica para os corredores, sendo um valor particular. Contudo, há algumas causas que podem aumentar a quantidade que deve ser ingerida, ou até diminuí-la. Questionar como foi o lanche pré-treino, há quanto tempo ele ocorreu e se houve suplementação são algumas das perguntas que vão ditar a quantidade correta.

“Mesmo sendo muito individual, não é necessária uma grande quantidade de carboidratos para repor os estoques perdidos. Um prato de macarrão à bolonhesa, um sanduíche de pão com queijo magro, um pote de cereais com salada de frutas são bons exemplos, que podem ser ingeridos após os treinos”, explica Renata Rodrigues de Oliveira, nutricionista.

Fome? Cadê?
Muitos corredores reclamam de não sentir nenhuma fome após os treinos, deixando assim de comer os carboidratos necessários. Mas, pode-se deixar de comer quando na há apetite? Para a nutricionista Maria Gabriela, é necessário comer, mesmo que o atleta não esteja com fome ou que tenha usado suplemento durante a atividade.

“Durante o período pós-treino, temos uma janela de reposição de glicogênio muscular e hepático gastos durante o exercício para gerar energia. Esta janela é o momento onde o organismo mais facilmente repõe este glicogênio e chega a durar cerca de 6 horas após o treinamento. Portanto, mesmo que não tenha fome, o atleta deve se alimentar no pós-treino”, frisa a nutricionista.

Renata explica o motivo da necessidade de comer após o exercício físico. “Ao invés de repor as energias perdidas durante a corrida, o atleta irá perder massa muscular, pois o organismo não terá o estoque de carboidratos necessários, passando então a usar os músculos como fonte de energia”.

Mesmo que o atleta esteja querendo perder peso, esse lanche não deve ser ignorado, sendo apenas remodelado de uma maneira que garanta os carboidratos necessários, mas também que não faça o indivíduo ganhar peso.