Contar calorias é importante?

A grande maioria dos meus pacientes, quando chegam ao consultório para buscar o plano alimentar perguntam: "- quantas calorias tem minha dieta?". É claro que o valor calórico diário é importante, mas ele não é tudo. Para você entender melhor, precisa conhecer um pouco sobre os nutrientes, como eles influenciam seu funcionamento metabólico além dos benefícios que eles podem trazer para você. Veja alguns exemplos simples:

100 Kcal de um brigadeiro são diferentes de 100 kcal de uma maçã. 
A forma que o nosso corpo processa as calorias de um brigadeiro é muito diferente. Grande parte dessas calorias vem da gordura e hoje sabemos que o nutriente com a maior densidade calórica é esse (ou seja: mais calorias em uma porção menor). Como nosso corpo tem dificuldade de processar essa quantidade de gordura de uma só vez, a probabilidade dela acumular e transformar-se em peso em excesso é muito maior se comparada com a maçã, onde o principal nutriente é o carboidrato. Além do carboidrato, a maçã (com a casca) é rica em fibras, que darão um trabalho adicional ao seu organismo. E, como sabemos, o nosso corpo processa de forma muito melhor os carboidratos se compararmos com as gorduras. Para saber melhor como isso funciona, não deixe de ler a teoria dos baldinhos.

Arroz integral tem calorias quase iguais as do arroz branco, então tanto faz. 
Mito! O arroz integral é rico em fibras, que é responsável por nos dar mais saciedade. Mais saciedade significa fome sob controle, ou seja, não ter aquelas vontades de ficar beliscando fora de hora. Além do mais, a diferença calórica entre eles é mínima, então não tem desculpa para continuar comendo arroz branco.

O valor calórico do alimento X na versão tradicional é praticamente igual ao do alimento Y na versão light. Vou comer o tradicional porque ele é mais gostoso e não vai fazer diferença.  
Em alguns produtos isso realmente acontece, mas se você começar a ler o rótulo vai entender melhor porque a troca ainda é interessante. O alimento light é reduzido em pelo menos 25% em algum nutriente - normalmente gordura ou açúcar. O diet, já é isento. Então, se você se deparou com um requeijão zero gordura, foi lá ver o valor calórico e encontrou valores muito semelhantes à versão tradicional (ou até mesmo a light, em alguns casos) ainda é melhor você escolher a versão zero gordura. O motivo é simples: a quantidade de proteínas e maior, e proteína dá mais saciedade. Nosso corpo consegue processar muito melhor as proteínas, depois os carboidratos e por último, as gorduras. Traduzindo: mais energia é gasta, e isso é ótimo para o funcionamento metabólico.

Tenha atenção redobrada aos "light" e "diet". 
Nem sempre só porque o produto é light ou diet significa que ele deve ser consumido. Muito menos à vontade! Um belo exemplo são as barrinhas de cereais, que, mesmo na versão light algumas são cobertas de chocolate (muita gordura!) e açúcar disfarçado (leia-se xarope de glicose, açúcar invertido e por aí vai). Imagine só na versão tradicional! Existem inúmeras opções saudáveis no mercado e que podem ser consumidas sem nenhum problema. Se tiver alguma dúvida e não sabe quais escolher, converse com seu nutricionista.

Deu pra entender? Saber o valor calórico dos alimentos é de extrema importância se você pretende perder ou manter o peso, mas isso não é tudo. Saber como o seu organismo responde aos nutrientes é o mais importante. Para isso, leiam sempre o rótulo e se informe sempre mais. Conhecendo melhor seu corpo, você conseguirá ver e sentir os benefícios que um alimento pode trazer à você e acabará comendo de forma correta (às vezes até uma maior quantidade) sem ficar escravo das calorias.